Ducati Globetrotter 90°: A viagem da tocha do Japão aos EUA.

 
share

A Belga Jessica Leyne, única mulher na viagem, concluiu com sucesso a parte três de sete etapas da Globetrotter 90°.

As condições climáticas adversas do Japão, não impediram que Jessica e a sua Multistrada 1200 Enduro continuassem cumprindo a apertada programação da excitante travessia pelo mundo.

A tocha do Globetrotter 90° e a Multistrada 1200 Enduro estão agora nas mãos do brasileiro Eduardo Generali, que vai cruzar os Estados Unidos de São Francisco a Indianápolis.

Borgo Panigale, Bolonha (Itália), 6 Outubro de 2016 – Globetrotter 90° atinge o seu próximo objetivo:

A pilota belga, Jessica Leyne, a única mulher a fazer essa volta ao mundo na Multistrada 1200 Enduro, concluiu agora o terceiro estágio. Chegando a São Francisco, ela entregou a tocha nas mãos do próximo Globetrotter, Eduardo Generali. Com quatro etapas pela frente, a aventura Globetrotter 90° espera percorrer 30.000 Km. Essa viagem de volta ao mundo é uma real homenagem para a Ducati e os seus 90 anos e somente 7 pilotos, escolhidos entre mais de 3000 candidatos, terão esta experiência.  Com o primeiro Globetrotter que saiu de Bolonha, Itália, no dia 04 de Julho, a fantástica tocha continua para São Francisco com Eduardo Genarelli. O Globetrotter brasileiro percorrerá 3.900 Km em 13 dias para chegar em Indianápolis documentando toda esta viagem em tempo real, graças à tocha Globetrotter. O “bastão” Globetrotter 90°, criado pelo Centro de Design da Ducati, é equipado com uma câmera de vídeo que permite que os pilotos gravem e compartilhem inteiramente a viagem pelo mundo no site: www.globetrotter90.ducati.com, para os brasileiros o site www.ducati.com.br também estará sendo atualizado conforme acontece a viagem de Eduardo.

Tem sido uma viagem de grande sucesso para Jessica Leyne. Com 27 anos e nascida em West Flanders, a professora de matemática e web designer está completando uma aventura de se orgulhar nas ilhas japonesas. Em viagens anteriores entre a Noruega e Romênia, Eslováquia e Itália, nenhum obstáculo a deteve, nem uma viseira congelada, ou lama na altura da cintura, nem mesmo um punho fraturado. No Japão, ela teve que lidar com o tufão Malaska que, infelizmente, tinha ocasionado destruição no sul da China, em seguida chegou a Taiwan e ao arquipélago japonês com rajadas de vento que chegavam a 160 km/h, além de causar inundações. Mas Jessica, com sua pequena estrutura (ela tem apenas 1 m e 62 cm de altura), bravamente decidiu continuar sua jornada com a Multistrada 1200 Enduro e foi pouco prejudicada pelo tufão, enquanto atravessava a terra do sol nascente.

Jessica saiu de Tóquio no dia 17 de setembro e imediatamente se dirigiu ao Monte Fuji, o vulcão que cerca toda a cidade, habitada por 35 milhões de pessoas. Em seguida, ela foi para Kiushi, no sul do Japão, e para o museu Hiroaki Iwashita que abriga o protótipo único da Ducati Apollo, a primeira superbike desenhada em Borgo Panigale, possuindo 1257 cc e pela primeira vez com a 90° L-Twin, uma característica distintiva da Ducati, desde então. Em seguida, Jessica continuou sua jornada parando na pista de corrida Motegi, um lugar memorável para Ducati. Em 2007, o Twin Ring Motegi, foi cenário para a grande vitória da Ducati no MotoGP. O piloto australiano, Casey Stoner, venceu dez corridas durante o campeonato, terminando em sexto lugar aqui para conquistar o título mundial. Mas isso não foi tudo, a corrida foi ganha pela outra Ducati Desmosedici, pilotada pelo Loris Capirossi, uma memória inigualável para todos os fãs. Depois de Motegi, Jessica também visitou uma outra gloriosa pista  para a Ducati: Sportsland de Sugo. Neste lugar em 1998, Carl Fogarty venceu a corrida decisiva para alcançar o título do Terceiro Campeonato Mundial de Superbike, o sétimo para a Ducati. A vitória foi uma espetacular final disputada com Aaron Slight. Entre 1990 e 1998, as gêmeas vermelhas também dominavam com Raymond Roche e Doug Polen.

A viagem de Jessica foi repleta de experiências emocionantes, como ela mesma relembra. Na ilha de Kinki ela viu o famoso “Meotoiwa”, ou em vez disso, “Pedras Casadas”, um símbolo do amor. O contraste entre a moderna Osaka, sua floresta e sua praia de areias brancas, que ela viu em sua rota, marcou sua viagem tanto quanto o tradicional castelo do centro de Chūō-ku – “Um ótimo exemplo de como o antigo pode existir dentro do moderno”, conta a Globetrotter. De volta a Tóquio “Jess” cruzou o Pacífico, chegando a São Francisco para encontrar com o brasileiro Eduardo e dar a ele a Multistrada 1200 Enduro e a tocha, no dia 05 de outubro.

Agora é a vez de Eduardo, 28, o guia turístico e instrutor de motociclismo. Ele nasceu em Itu, no estado de São Paulo e a sua paixão pelas duas rodas foi herdada de seu pai. Ele irá viajar pelo oeste dos Estados Unidos, da Califórnia para Indiana, no centro-oeste. Ele visitará legendárias pistas, tais como Laguna Seca e a rota da aventura Pike Peak, nas montanhas do Colorado, o palco da famosa “corrida em direção às nuvens”, que a Ducati venceu em três consecutivas ocasiões, de 2011 a 2013.

Para acompanhar essa jornada em tempo integral acesse: www.globetrotter90.ducati.com e confira pelo Twitter e Instagram com a #globetrotter90.

Inscreva-se na newsletter e seja o primeiro a saber!

Ao digitar seu endereço de e-mail, você será informado sobre as novidades e promoções da Ducati. Você pode concluir seu cadastro a qualquer momento e criar seu perfil em Ducati.com para acessar todos os recursos.
Confirmo que li as informações elaboradas nos termos do art. 13 D.Lgs. 196/2003 e do texto anexo do art. 7 do Código de Privacidade e

concordo com o tratamento do meu endereço de e-mail para os fins nele indicados

Digite o seu endereço de email